Atividades NICE

Screenshot_20200610-161007_InstagramAs ações do NICE têm aberto muitas interfaces com a Educação Básica, no âmbito de escolas públicas municipais e estaduais de Sergipe, mais frequentemente na Capital e em municípios da região metropolitana, como Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão. Não obstante, o grupo de contato com professores tem representantes de todas as regiões do Estado, desde Frei Paulo, no agreste sergipano, até Poço Verde, no Vale do Rio Real, já na divisa com a Bahia.

A amplitude desse trabalho foi possível pelas parcerias construídas, principalmente  com a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (SEDUC). Nesse sentido, detalharemos, neste item, as propostas discutidas junto ao Governo do Estado de Sergipe, já iniciadas e com grande potencial para consolidar políticas públicas interdisciplinares de cinema e educação.

Ressaltamos o apoio em forma de bolsas da FAPITEC-SE/CAPES aos alunos do Programa, que permitiram o envolvimento dos mesmos nas atividades, em consonância com seus projetos de dissertação, além das bolsas advindas de programas como PIBID, PIBIX, PIAEX dentre outras ações de inserção social da IES, que envolveram diversos professores do Programa e oportunizaram bolsas para os discentes da graduação que participam dos trabalhos interdisciplinares. Em 2019, foram onze (11) bolsas destinadas aos alunos do Mestrado e treze (13) bolsas de pesquisa ou extensão para alunos da graduação. Além disso, como voluntários, tivemos doze (12) alunos de cursos de graduação, especialmente de Cinema e Audiovisual, vinculados às ações do NICE, além de duas (02) mestrandas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS).

Screenshot_20200610-161034_InstagramTambém destacamos outros Departamentos e Cursos envolvidos em projetos de pesquisa de docentes do PPGCINE, vinculados ou não ao NICE, tais como: Departamento de Artes Visuais e Design (DAVD); Departamento de Ciências Sociais e Licenciatura em Ciências da Religião; Departamento de Psicologia e Departamento de Biologia. As ações que docentes do programa realizam, ainda que isoladas (na forma de palestras, minicursos, oficinas, conversas, entrevistas [rádio, televisão, internet]), podem ser consideradas básicas para a emergência de interações sociais mais amplas e diferentes quanto às suas institucionalidades, podendo também envolver as escolas.

Portanto, ao finalizar o terceiro ano do quadriênio reconhecemos que as prospecções objetivadas anteriormente de nos inserirmos em contextos sociais – públicos ou privados – para além das escolas, como praças, ruas, associações e comunidades, avançaram significativamente, não perdendo de vista que as interfaces com a Educação Básica continuam sendo nosso foco de ação interdisciplinar.


Interfaces com a Educação Básica
Como já ressaltado, os projetos integrados ao NICE trabalham diretamente com ações de formação continuada de professores para o uso de cinema em sala de aula, apoio a atividades cineclubistas e realização de oficinas de audiovisual para estudantes da Educação Básica.

As oficinas de criação audiovisual nas escolas públicas acontecem desde 2018, sendo que em 2019 ocorreram em diferentes escolas da rede estadual de ensino, em municípios da grande Aracaju, e em bairros periféricos da capital, tais como: Colégio Estadual Prof. Dr. Carlos Firpo (Barra dos Coqueiros); Colégio Estadual Prof. Gonçalo Rollemberg Leite (Aracaju); Escola Estadual Armindo Guaraná (São Cristóvão) e ainda na escola que funciona na Comunidade de Atendimento Socioeducativo Masculino/CASEM (Nossa Senhora do Socorro).

k

Figura 1 – Oficina Colégio Estadual Prof. Gonçalo Rollemberg Leite (Aracaju)

kk

Figura 2 – Oficina Colégio Estadual Prof. Gonçalo Rollemberg Leite (Aracaju)

kkk

Figura 3 – Oficina de Roteiro no Colégio Estadual Armindo Guaraná

O NICE também participou, com discentes do PPGINE na coordenação, de oficina de cineclubismo para estudantes do nível médio no Instituto Federal de Sergipe (IFS), colaborando com projeto de criação audiovisual que resultou na produção do curta-metragem de ficção Não pense, estude (2019), com roteiro e direção dos alunos do IFS.

k

Figura 4 – Oficina na Escola Municipal de Ensino Fundamental Oviedo Teixeira

kk

Figura 5 – Oficina na Escola Municipal de Ensino Fundamental Oviedo Teixeira

Originalmente proposta por dois professores permanentes do PPGCINE oriundos do Departamento de Educação Física (DEF), destaca-se também o projeto de extensão Corpo e cinema no ensino médio que, em 2019, realizou sua terceira edição. O objetivo foi o de envolver alunos de escolas públicas para assistir (e debater) a filmes nacionais, com apoio de um estagiário bolsista. As exibições aconteceram a cada quinze ou trinta dias, durante seis meses, e envolveram cerca de 150 estudantes de escolas estaduais do bairro Bugio, periferia de Aracaju.

Ressaltamos, na mesma medida, o projeto de extensão que trabalha junto a professores do ensino básico de Sergipe com o objetivo de formação teórico-prática para se trabalhar com o cinema no ensino nas escolas. A referida ação tem sustentação metodológica nos “Cadernos do inventar: cinema, educação e direitos humanos”, proposta utilizada em outros projetos de extensão do PPGCINE já relacionados. No caso do projeto do DEF, as primeiras experiências com um grupo de docentes do ensino básico foram realizadas no início de 2019, ano em que alguns docentes deste departamento vêm ensaiando experiências no âmbito do principal programa de incentivo à docência, o PIBID.

Relacionada a essas experiências, podemos mencionar a realização, de 25 a 28 de novembro de 2019, do Seminário de Extensão A escola pública brasileira nas telas do cinema. Realizado pelo PPGCINE/UFS, em conjunto com professores e alunos do Departamento de Educação Física, e reconhecendo o valor pedagógico do Cinema na construção de diálogos vitais para o amadurecimento da democracia, a proposta  objetivou, pela mediação da arte cinematográfica, analisar as contradições e tensões que movem a conjuntura brasileira e seus impactos na educação. Para tanto, o evento propôs quatro sessões de trabalho/mesas-redondas com a seguinte sistemática: exibição de um filme documentário acerca da escola pública no Brasil, palestra dos professores convidados e debates.

kkk

Figura 6- Seminário A escola pública brasileira nas telas do cinema

Também nos Departamentos de Psicologia (DPS) e Biologia (DBI), docentes do PPGCINE vinculados ao NICE tem utilizado os dispositivos do Inventar nos trabalhos com alunos da graduação, em disciplinas do currículo obrigatório, residência pedagógica e estágio curricular obrigatório. Um exemplo é o trabalho com produção de imagens e filmes-carta feito na disciplina Psicologia e Práticas em Educação, onde dois

discentes bolsistas do PPGCINE realizaram seus estágios docência. O DPS atua também, através do estágio institucional obrigatório, junto ao Colégio de Aplicação (CODAP), que funciona no campus São Cristóvão da UFS, na criação de um cineclube (CineCODAP) com alunos e professores, como modo de intervenção institucional. Outra experiência que deve ser mencionada ocorreu no Departamento de Biologia, ao qual uma de nossas docentes está vinculada. Dentro do programa de uma das disciplinas, um discente do PPGCINE ministrou oficina a licenciandos e, juntos, realizaram atividades de produção de filmes, com celular.

Conforme já destacado na descrição das ações de integração com a graduação, a perspectiva de inserção social do PPGCINE está fortemente ligada ao trabalho do Núcleo Interdisciplinar de Cinema e Educação (NICE) e às parcerias estabelecidas. A parceria estabelecida com a  SEDUC, por exemplo, já estimulou a criação da Plataforma de Cinema e Educação Básica de Sergipe (CINEDS), projeto que pretende mapear e fomentar uma rede de cineclubes nas escolas públicas do Estado, além de reunir, através de uma plataforma virtual, materiais pedagógicos e produções audiovisuais de estudantes e professores do Estado. Tal parceria resultou em diversas ações conjuntas com o PPGCINE, apoiadas em Termo de Cooperação Técnica firmado através do NIUEB- Núcleo de Integração entre a UFS e a Educação Básica, setor criado dentro da SEDUC para tratar dos convênios firmados com a nossa universidade.

222

Figura 7 – Logo CINEDS

No caso do NICE, foi firmado um Plano de Atividades (em anexo) e solicitada a reformulação do Termo de Cooperação Técnica existente entre a Universidade e a SEDUC, para inclusão específica das ações de cinema, processo em andamento. De toda forma, o Plano de Atividades foi executado já a partir de 2019, resultando na formatação e no lançamento da Plataforma CINEDS, projeto construído coletivamente com o NICE através do Núcleo de Projetos Criativos e Inovadores (NUPI) e do SEDH, setor que integra ações de Educação em Direitos Humanos. A proposta é viabilizar a formação permanente em torno do cinema e educação, do cineclubismo e da relação mídia e juventude, priorizando os Direitos Humanos como tema de transversalidade.

Para marcar o lançamento da CINEDS, o PPGCINE coordenou, através do NICE, a roda de conversa “Cineclubes nas escolas: encontros entre cinema e educação”, com participação de professores da rede básica do Estado, gestores e discentes da graduação e pós-graduação. O objetivo foi discutir e fomentar a criação de cineclubes nas escolas da rede de educação básica, pensando no projeto maior, de criação da Plataforma. Na ocasião, quem realizou a palestra foi uma egressa do PPGCINE, pesquisadora e cineclubista.

cine

Figura 8 – Cartaz do evento Cineclube nas escolas

llllll

Figura 9 – Yanara Galvão, mestre pelo PPGCINE/UFS, durante fala sobre cineclubes

Podemos destacar outras ações cineclubistas relacionadas, envolvendo discussão e exibição de filmes e resultantes dessa parceria com a SEDUC. É o caso da aproximação do NICE e da CINEDS com a Comunidade de Atendimento Socioeducativo Masculino (CASEM/SE). A casa, criada no município de Nossa Senhora do Socorro em 2018, acolhe cerca de 80 jovens e adolescentes que cumprem medidas socioeducativas. A gestão procurou incluir na Casa várias atividades de cultura e arte, como aulas de capoeira, música e exibição de filmes. CINEDS e NICE participaram da construção do “Cine CASEM”, que teve a primeira exibição no início de novembro de 2019.

kk

Figura 10 – Coordenação do Cine Casem

20161218-top-10-melhores-filmes-brasileiros-2016-600x328

Figura 11 – Cine Casem: exibição do filme

bbsbsbs

Figura 12 – Cine Casem: exibição do filme

Durante todo o mês de novembro foram realizadas atividades no CASEM, começando pelo Cine Casem e tendo continuidade na Oficina de Criação Audiovisual orientada por dois egressos do PPGCINE, que resultou na montagem de um filme-carta, exibido no evento que marcou um ano de funcionamento da Casa.

lllll

Figura 13 – CASEM: oficina de produção audiovisual

asm

Figura 14 – CASEM: oficina de produção audiovisual

kk

Figura 15 – Exibição do filme-carta na comemoração de um ano do CASEM (28/11)

cinema-brasileiro

Figura 16- Egressos do PPGCINE que produziram o filme-carta junto com internos falam antes da exibição

Destacamos também a realização da “Matinê CINEDUCA” no Cine Vitória, sessão de cinema com professores da rede básica do Estado. Tanto nesse caso, como na proposta do Cine Casem, os filmes são selecionados segundo critérios que envolvem a discussão de temas voltados à educação, cidadania e direitos humanos, priorizando obras contemporâneas brasileiras e estrangeiras de grande bilheteria, mas de difícil acesso à maioria dos professores. A curadoria estabelece consonância com os projetos da CINEDS e as linhas de atuação do PPGCINE. A primeira matinê CINEDUCA debateu o filme Bacurau (2019), de Kléber Mendonça Filho, tendo assumido o debate uma docente do PPGCINE e um professor da rede estadual de ensino. A participação dos professores foi significativa, com cerca de 100 docentes que debateram de forma intensa o filme e suas relações com a educação, ratificando a importância da proposta e a necessidade de uma ação sistemática e continuada. A proposta teve continuidade em 2020, com exibição e debate do filme Parasita (2020).

1111111111

Figura 17 – Cartaz Matinê Cineduca

2222222

Figura 18 – Matinê Cineduca: debate com os professores da rede estadual de ensino

1

Figura 19 – Matinê Cineduca: debate com os professores da rede estadual de ensino

Outra atividade cineclubista consistiu da curadoria de produções audiovisuais realizadas nas escolas estaduais, a convite da Divisão de Tecnologia de Ensino (DITE), da SEDUC, que já trabalha com as oficinas de audiovisual em diversas escolas do Estado. A ação foi finalizada com uma sessão de cinema no Cine Vitória, com estudantes de escolas públicas que participaram das produções. Foram exibidos os filmes produzidos pelos estudantes da rede básica do Colégio Estadual Nelson Mandela, da Escola Estadual Professor Benedito Oliveira e do Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia de Sergipe.

cv

Figura 20 – IIª Mostra Estudantil de Produção Audiovisual 

hjh

Figura 21 – Coordenação da  IIª Mostra (PPGCINE/DITE/SEDUC)

bccvc

Figura 23 – Cartaz de divulgação da IIª Mostra Estudantil de Produção Audiovisual

Cabe destacar, ainda, a realização dos dois principais projetos de extensão do NICE em 2019,  a saber: “Nice: formação de professores, cineclubismo e criação audiovisual” e “Maré Narrativa: criação e formação de narrativas”.  O primeiro projeto resume as frentes de atuação do Núcleo, com ações organizadas em torno de três eixos: formação continuada de professores, mostras e ações cineclubistas e oficinas de criação audiovisual.

Já o Projeto Maré Narrativa reúne iniciativas de criação, educação e pesquisa focadas no desenvolvimento de narrativas cinematográficas. É formado por alunos e professores das graduações de Cinema e Letras, e do próprio PPGCINE – todos da UFS. Trata-se de um espaço que instiga a criação artística e estabelece um diálogo em especial com duas instâncias. A primeira é a escola e ocorre em parceria com o NICE/UFS, através de oficinas de escrita de roteiros com alunos e professores da rede pública de Sergipe. A segunda, com roteiristas – tanto os aspirantes, quanto os profissionais. Para isso, realiza “encontros de invenção de escrita para o cinema” e também está em desenvolvimento um site com orientações e informações para quem quer saber mais sobre a criação de roteiros. O projeto é vinculado a pesquisa em andamento que investiga os processos de criação dos roteiristas latino-americanos contemporâneos. A pesquisa é coordenada por docente do Programa também vinculada à graduação em Cinema, onde leciona as disciplinas de Roteiro. O grupo se reúne regularmente para discutir propostas individuais e coletivas de roteiros, ter acesso sobre os processos de criação de outros artistas, bem como discutir textos acadêmicos. Produção de saber e de sentidos via arte e ciência.

Os dois projetos descritos acima constituíram a base para que o Núcleo apresentasse proposta a edital de apoio a Programas Setoriais da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX/UFS), visando transformar o Núcleo em um Programa de Extensão. Ao final de 2019 a proposta foi aprovada, passando o NICE a atuar como um Programa a partir de 2020, o que oportunizará ao Núcleo desenvolver vários projetos articulados. Além dos dois projetos descritos, outros dois foram apresentados por docentes vinculados ao Núcleo e também  aprovados em editais de extensão em 2020, e são relacionados às ações cineclubistas e de produção audiovisual.

Acreditamos que todas as ações e os projetos aqui elencados corroboram o potencial de inserção social do PPGCINE. Vale ressaltar, por fim, que as ações do NICE alcançaram também a Educação Superior, através da aproximação com o Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT), do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS), ocorrida desde 2018, e detalhada em item anterior.

Outra ação relacionada é a oferta regular desde 2017, de disciplina optativa de Cinema, Educação e Direitos Humanos, oferta voltada aos alunos das licenciaturas da UFS, além de estudantes de diversos cursos de graduação IES. A experiência da disciplina, já mencionada no item Integração com a Graduação, resultou ainda na inserção do PPG nas comunidades, com destaque para as aulas feitas na Ocupação Beatriz Nascimento, integrando estudantes e moradores da comunidade, localizada no bairro Japãozinho, em Aracaju. O local abriga mais de 1000 famílias que conquistaram, em 2018, do Governo Estadual, o direito à posse do terreno onde vivem desde 2017.

cvcvc

Figura 24 – Cartaz da atividade na Ocupação Beatriz Nascimento

mkmkkm

Figura 25 – Turma 2019-1 da disciplina Cinema, Educação e Direitos Humanos

%d blogueiros gostam disto: