Integração com a graduação

A integração do PPGCINE com a graduação da UFS se faz por meio da participação dos discentes nos eventos e projetos de pesquisa e extensão dos docentes do Programa, com destaque para os projetos vinculados ao Núcleo Interdisciplinar de Cinema e Educação (NICE). Os estágios docentes também contribuem para essa integração, conforme será descrito neste item.

Desde o início do Programa, alunos da graduação de diferentes cursos da UFS – Cinema e Audiovisual, Psicologia, Artes Visuais, Letras, História, Biologia, dentre outros – foram inseridos nos projetos de pesquisa e extensão dos docentes do PPGCINE. Em 2019 foram 13 alunos vinculados como bolsistas de pesquisa ou extensão. Dos projetos, destacamos os seguintes (concluídos ou em execução em 2019), por estarem diretamente vinculados ao NICE: “Escritas de roteiro: processos de criação no cinema latino americano”; “Pedagogia da imagem: processos colaborativos na criação de narrativas audiovisuais”; “Infância e narrativa fantástica: fabulando mundos com o cinema”; “Masculinidades em cena: a produção de sentidos de jovens no Brasil e Espanha, a partir do audiovisual- cinema e mídias digitais”; “Maré Narrativa: criação e formação em narrativas”; “CineMais UFS: documentários bioeducativos”; “Núcleo Interdisciplinar de Cinema e Educação (NICE): formação de professores, cineclubismo e criação audiovisual”.

Consideramos a relevância do Núcleo Interdisciplinar de Cinema e Educação para o PPGCINE, especialmente se pensamos na interface com a graduação, pois todos os projetos do NICE envolvem participação de alunos, sejam do mestrado ou da graduação. Foi exatamente a partir deste campo do cinema e educação, que dialoga com o cinema de diversas formas – realização audiovisual, atividades cineclubistas, mostras e debates, cinema como apoio de conteúdos escolares, formação continuada de professores, dentre outras –, que  o NICE foi criado, em julho de 2018. A iniciativa para tal surgiu a partir das reflexões e demandas geradas em projetos de extensão e pesquisa realizados por docentes do PPGCINE e vinculados inicialmente à graduação em Cinema e Audiovisual, mas abrangendo, posteriormente, alunos de outros cursos da IES, por meio de Laboratório de Pesquisa e Produção Audiovisual (LAPPA).

O desenvolvimento do projeto Nordeste de Invenção: interlúdios de cinema, educação e direitos humanos (2016-2017), selecionado em convocatória nacional lançada pelo Projeto Inventar com a Diferença (ID): Cinema e Direitos Humanos, em sua segunda edição (2016), foi fator decisivo para avançarmos nas experiências de cinema e educação e para constituição do NICE. O ID é um programa do Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense (UFF), em parceria com a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO), a Secretaria Especial de Direitos Humanos do Ministério da Justiça e Cidadania e o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA), que ofereceu formação e acompanhamento a educadores de escolas públicas de todo o país para trabalho com vídeo em torno da temática do cinema e dos Direitos Humanos.

Das 151 propostas inscritas foram selecionadas 25 (sendo 9 do Norte, 42 do Nordeste, 17 do Centro-Oeste, 63 do Sudeste, 20 do Sul), com proposições diferentes e relevantes e que cruzavam cinema, educação e direitos humanos das mais variadas maneiras. A ideia foi a de compor parceiros de diferentes regiões do país, levando em consideração a afinidade dos projetos com a metodologia e os conceitos fundamentais para o Inventar, como descrito no site http://www.inventarcomadiferenca.com.br/.

O Nordeste de Invenção desenvolveu ações de formação e criação cinematográfica em três escolas públicas de Sergipe: Colégio Estadual Armindo Guaraná (São Cristóvão), Colégio Estadual João de Oliveira (Poço Verde) e Escola Municipal Prof. Diomedes (Aracaju). Foram feitas oficinas de formação com professores e atividades de criação audiovisual e cineclubismo com três públicos distintos:  crianças do fundamental menor (6-7 anos); jovens e adolescentes do fundamental maior e ensino médio e alunos jovens e adultos do EJA. Uma primeira reunião do material filmado foi objeto do  filme Se essa câmera fosse minha, com roteiro e direção dos bolsistas de extensão (projeto NICE/2019), alunos da graduação em Cinema e Audiovisual. O roteiro do filme foi discutido de forma participativa com os membros do Núcleo, e o lançamento está previsto para 2020.

Em essência, o NICE consolidou um movimento já existente de pensar o cinema como ato educativo, constituindo-se, pois, um núcleo permanente de estudos e trabalho com professores e alunos da rede pública, que tem possibilitado constante troca de experiências. O núcleo atua de forma colaborativa, apoiando iniciativas em torno do cinema já existentes nesses espaços educacionais, com foco em criação audiovisual, cineclubismo e formação de professores.

A criação oficial do Núcleo foi marcada pela palestra “Cinema e educação: a potência do gesto criativo”, com a Profa. Dra. Adriana Fresquet (UFRJ), pesquisadora de referência do campo cinema-educação no Brasil. O evento ocorreu no dia 31 de julho de 2018 e desde então a demanda por ações nas escolas sergipanas só cresceu: percebemos que o interesse de professores e alunos pelo cinema dentro da sala de aula é algo concreto, a carência de espaços de formação para educadores sobre a arte é enorme e a dependência desses profissionais em projetos externos à escola é, por vezes, a única oportunidade de usar o cinema além das exibições esporádicas em sala de aula focadas na ilustração de conteúdos. Fresquet continuou sua assessoria ao NICE em 2019, quando retornou à UFS para coordenar reunião com a equipe do Núcleo e, na oportunidade, ajudou o grupo a fazer o planejamento de suas ações e indicou caminhos para constituição de um programa aglutinador de projetos de extensão relacionados ao cinema e educação.

O grupo do NICE se reúne mensalmente para definir prioridades, planejar e organizar a execução de suas ações. Cerca de 30 docentes da rede básica de ensino – que estiveram na palestra de lançamento do Núcleo e responderam ao chamamento para integrar o grupo, através do preenchimento de um formulário aplicado por discente do PPGCINE – passam a ter contato próximo com o NICE, sendo os dados do formulário utilizados na dissertação, concluída em 2019, sobre as ações em cinema e educação realizadas em Sergipe.

Com o PPGCINE e o NICE, a UFS se torna um centro de referência para formação continuada em cinema e educação em Sergipe, com foco especial no trabalho junto às escolas públicas. Em pouco mais de um ano de atuação, o NICE conseguiu reunir um grupo articulado de alunos, professores e gestores para realização de oficinas de formação e criação audiovisual nas escolas, seguindo e adaptando a metodologia utilizada pelo projeto do Inventar.  Com a parceria firmada com a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura de Sergipe (SEDUC/SE), através do Serviço de Educação e Direitos Humanos (SEDH), várias atividades podem ser relacionadas. Essas oficinas e ações cineclubistas, voltadas à exibição e ao debate de filmes, serão detalhadas mais adiante, nos itens referentes aos intercâmbios e às ações de inserção social.

Além do Termo de Cooperação com a SEDUC, o PPGCINE assinou Plano de Atividades com o Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT), atualizando termo de cooperação já existente com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS/SE), no sentido de colaborar na feitura dos objetos educacionais direcionados ao cinema e audiovisual desenvolvidos por mestrandos do ProfEPT/IFS. Tal colaboração resultou na formação do Núcleo de Trabalho e Estudos em Educação Profissional e Tecnológica e Cinema (NEPTCi), integrado por alunos e professores do PROFEPT/IFS, e será melhor detalhada no item Solidariedade, nucleação e visibilidade. No momento, discutimos novo termo, em minuta já encaminhada à aprovação dos reitores das IES (em anexo).

O NICE participou ainda da produção de três (3) filmes em 2019, com participação dos alunos da graduação e do mestrado: o já mencionado Se essa câmera fosse minha (a ser lançado em 2020), sobre os resultados do projeto Nordeste de Invenção; o Filme-carta da Comunidade de Atendimento Socioeducativo, (obra de acesso restrito); e o Filme-resumo sobre o IIº SIC (disponível na página do curso ( https://ppgcineufs.com) . Além disso, uma docente do PPGCINE participou na orientação de documentário sobre os alunos residentes da UFS.

As ações do NICE foram apresentadas no VIII Colóquio Estética e Política, evento do grupo de pesquisa Poéticas da Experiência, do PPGCOM/UFMG, em Belo Horizonte (20/11/2019), na Mesa Redonda Cinema e Educação: olhares reversos. Também foram objeto de palestra (26/11/2019) sobre Cinema e Educação na Roda de Conversa do IFS, para a turma de 2019 do mestrado (ProfEPT), a exemplo do já ocorrido com a turma de 2018.

Os eventos científicos são oportunidade ímpar para integração com a graduação. Em 2019, destacamos a realização do IIº SIC, que possibilitou uma maior integração dos corpos docente e discente, e dos alunos do Mestrado com os de diversos cursos de graduação da UFS que participaram maciçamente como monitores e participantes das atividades. Essa segunda edição do Seminário Interdisciplinar abriu espaço para diversas atividades acadêmicas, dentre elas minicursos oferecidos por docentes vinculados a grupos de pesquisa na UFBA e UFMG que desenvolvem conosco o projeto de cooperação técnica viabilizado pela FAPITEC-SE/CAPES, através do projeto Cooperação Acadêmica para o estudo das relações entre cinema e interdisciplinaridade com foto nas narrativas sociais. Tal projeto foi aprovado no Edital CAPES/FAPITEC-SE Nº 10/2016, do Programa de Estímulo a Mobilidade e ao Aumento da Cooperação Acadêmica da Pós-Graduação em Sergipe (PROMOB).

O evento foi também uma oportunidade de refletir sobre a importância da educação na nossa atual conjuntura, além de consolidar o espaço de atuação do NICE/PPGCINE/UFS. Além disso, ministraram minicursos discentes do PPGCINE/UFS e PPGCOM/UFMG, além de discente vinculado ao Grupo de Estudos e Pesquisa Comunicação, Educação e Sociedade (GECES/UNIT), do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Tiradentes.

Outros eventos apoiados e/ou coordenados pelo PPGCINE em 2019 e que merecem destaque como formas de integração com a graduação foram: IVª EGBE – Mostra de Cinema Negro de Sergipe, mostra de filmes o seminário “Políticas públicas e ações afirmativas no audiovisual”; apoio ao Projeto 70 Olhares (Instituto Cultura e Movimento – ICEM), especificamente no Workshop Declaração Universal Direitos Humanos, evento de extensão que tratou sobre o concurso de roteiro de filme minuto destinado a estudantes da graduação em todo o Brasil e que selecionou 70 trabalhos para constituição de um filme com 70 Olhares sobre os Direitos Humanos. Em Sergipe, o trabalho de um aluno da graduação em Cinema e Audiovisual e integrante do NICE/PPGCINE foi aprovado e está sendo finalizado (previsão março 2020).  E também o seminário de extensão A escola pública brasileira nas telas do cinema, coordenado pelo PPGCINE e Departamento de Educação Física.

Outro indicador da integração com a graduação é a oferta, desde 2018, da Disciplina Cinema, Educação e Direitos Humanos (COMSO0274), ministrada por alunos mestrandos do PPGCINE que atuam como voluntários.. A oferta tem sido regular e semestral, sendo a disciplina optativa do Bacharelado em Cinema e Audiovisual, curso vinculado ao Departamento de Comunicação Social (DCOS), mas com vagas abertas a todos os cursos da IES, e especialmente as licenciaturas..

Em 2019.1 e 2019.2,  os dois docentes voluntários que assumiram a disciplina eram também membros fundadores do NICE. Estes, percebendo que a disciplina expressava significativamente os ideais do NICE, elaboraram um plano de trabalho que pudesse integrar as atividades do grupo e envolver os estudantes da graduação em uma experiência de criação e alteridade, de emancipação e autonomia.

Os encontros do primeiro semestre aconteceram às quintas-feiras, e a turma contou com um total de 45 estudantes, sendo 39 regularmente matriculados e 6 ouvintes, estes sem vínculo com a instituição. Os estudantes que compuseram a classe vinham de diversas áreas. Dos regulares, 20 eram estudantes de Cinema e Audiovisual; 2 eram de Jornalismo; 1 de Serviço Social; 1 de Teatro; 1 de Ciências Biológicas; 2 de Geografia; 1 de Artes Visuais; 1 de Psicologia; 3 de Design Gráfico; 1 de Matemática Aplicada e Computacional; 1 de Engenharia de Computação; e 5 de Comunicação Social, sendo 2 da Habilitação em Audiovisual, 2 da Habilitação em Jornalismo e 1 da Habilitação em Publicidade e Propaganda. Dos discentes ouvintes, 3 possuíam formação em Licenciatura e atuavam como professores da rede básica de ensino público do Estado; 1 tinha formação em Psicologia; e 2 não tinham ensino superior.

Durante o semestre de 2019.1 aconteceram aulas expositivas, seminários, discussões de textos, exibições de filmes acompanhadas de debates e atividades de produção audiovisual. Além também de participação em eventos, como o “II Seminário Interdisciplinar de Cinema”, promovido pelo PPGCINE/UFS, e a “Roda de conversa Cineclube nas Escolas: encontros entre cinema e educação”, promovida pela Plataforma de Cinema e Educação Básica de Sergipe (CINEDS/SEDUC-SE). E ainda, aulas de campo nos seguintes locais: Ocupação Beatriz Nascimento e CasAmor. Cerca de 97 produtos audiovisuais foram elaborados pelos estudantes ao decorrer da disciplina. Dentre as realizações, conta-se com: Filmes-haikais; Lá Longe, Aqui Perto; Filmes-cartas; Câmeras Subjetivas; Minutos Lumières e Sons ao Redor (conferir exemplo do dispositivo filme-carta em anexo).

Em 2019.2 os encontros foram às sextas-feirasesta vez a turma contou com 41 discentes regulares de áreas ainda mais diversas. 10 estudantes de Cinema e Audiovisual; 6 de Letras Português e Inglês; 2 de Letras Inglês; 1 de Letras Português e Espanhol; 7 de Psicologia; 4 de História; 4 de Jornalismo; 4 de Geografia; 1 de Design; 1 de Ciências da Religião; e 1 estudante de mobilidade, do Curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Nesse semestre contamos também com aulas expositivas, mantivemos os seminários, as discussões de textos, as produções audiovisuais e as exibições de filmes com sessões de debates. Houve participação em eventos: “Mostra Taturana de Cinema Pela Democracia 2019” que ocorreu dentro do “In-Comunicações”, evento do DCOS; “VI Semana de Visibilidade Trans”. Promoveu-se duas rodas de conversa “Cinema e Experiências” e “Direito à Cidade”. E uma aula de campo no Terreiro e Centro Cultural Erukerê. Os estudantes produziram aproximadamente 110 produtos audiovisuais, entre os quais: Filmes-haikais; Filmes-cartas; Câmeras Subjetivas; Minutos Lumières e Lá Longe, Aqui Perto.

A atuação na disciplina – bem como nos projetos de extensão dos docentes e nas demais ações do NICE – tem incentivado uma grande produção audiovisual, proporcionando o experimento de metodologias em torno do cinema, permitido uma aproximação com o cinema a partir de atividades de cineclubismo, provocado reflexão sobre os direitos humanos e sobre a educação e a prática pedagógica. O visível interesse dos estudantes de outros cursos em uma disciplina que para eles é optativa ou eletiva, e supostamente distante de sua estrutura curricular, demonstra o quanto o cinema, a educação e os direitos humanos são essenciais. E projeta para o PPGCINE novas pesquisas e reflexões, bem como metodologias para a criação audiovisual.

Enfim, resumimos em quatro pontos as principais ações do PPGCINE relacionadas à integração com a graduação:

  1. Projetos de extensão dos docentes, com oferta de bolsas (remuneradas e voluntárias) para os alunos da graduação;
  2. Participação efetiva dos alunos de graduação (especialmente de Cinema e Audiovisual) como membros do Núcleo Interdisciplinar de Cinema e Educação (NICE);
  3. Participação efetiva dos alunos de graduação nos eventos realizados pelo PPGCINE, como monitores e/ou participantes;

Oferta regular da disciplina Cinema, Educação e Direitos Humanos.

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: